Tai Chi Pai Lin – Inverno, recolhimento sim, Depressão não!

Tai Chi Pai Lin – Inverno, recolhimento sim, Depressão não!

Na coluna anterior, (edição n°144) sustentamos ser a prática constante do Tai Chi Pai Lin, (baluarte da Medicina Tradicional Chinesa, preconizado na modalidade Lin pelo Mestre Liu Pai Lin para o Brasil) imprescindível para o enfrentamento do inverno, face à constante ativação da energia, o desbloqueio das articulações rígidas pelo frio e a consequente reativação da energia vital.

 

Similar à natureza que no inverno se aquieta gerando a semente da primavera, a estação nos convida à quietude, ao mergulho em si, retornando à origem e conservando a energia vital. O movimento é natural -como na arvore, em que a energia desce rumo ao tronco até à raiz, nosso corpo também sente a necessidade de se recolher e armazenar energia para florir na próxima estação.

 

A Medicina Tradicional Chinesa que tem como mote a interligação do corpo, portanto há que se atentar para o fato de que nosso bem estar emocional, físico e espiritual depende do equilíbrio harmonioso das energias Yin e Yang (reiterando que somos regidos pelas energias Yin e Yang, opostas complementares e presente em todas as coisas). Ocorre ser o inverno pertence à energia Yin, sutil e interiorizada, associada ao elemento água e aos órgãos ligados à ela, bexiga e rins. Os rins alimentam a força de vontade, controlam o medo e afetam os sonhos, além de armazenar a energia vital; a bexiga acautela contra energias perversas e influencias externas. O desequilíbrio e deficiência do rim e a estagnação da energia no fígado, síndromes costumeiras no inverno, podem causar a “dor íntima” como é chamada a depressão em algumas cidades da China.

 

Sintomas como ausência da vontade e da energia mental, falsas ilusões, pensamentos negativos que com o tempo tornam-se obsessivos; ansiedade e temores infundados, perda do prazer para realizar atividades de rotina, sensação de inutilidade, dificuldade de concentração, insônia, ausência ou aumento de apetite, agitação frequente, culpa excessiva, entre outros são consequência da depressão.

 

Nesse sentido, a prática constante do Tai Chi Pai Lin, trata as síndromes energéticas antes que se tornem físicas, com a adoção de um estilo de vida e atividades rumo à longevidade e saúde.

 

O recolhimento pertinente ao inverno, permite o cultivo da energia vital equilibrando as energias antagônicas Yan e Yang, através das práticas meditativas.  O mergulho interior em prol do autoconhecimento e redescoberta íntima é essencial para o vazio criador e fortalecimento da raiz.   Aliados aos treinos, com movimentos suaves e de intenção profunda, propiciam a fluidez imprescindível para o desapego. Esvaziam-se excessos de toxinas físicas e espirituais causadores da depressão. As mãos captam e “maestram“, conduzem, a energia rumo ao coração e aos meridianos. Aumenta-se o fluxo da energia Yang, favorecendo os mecanismos de circulação de sangue, oxigênio. Aquece-se o corpo físico e cultiva-se a energia vital, dissolvendo a rigidez física e mental, com quietude e melhor aceitação dos processos cíclicos da vida.

 

Tal sequência transformadora ocorre em todos os treinos, soltando e esvaziando pressões e ansiedades com balanços e palmadas, ou treinando equilíbrio, flexibilidade, agilidade com as Flexibilização das Nove Dobras. “Recolher não é deprimir.” A prática constante do Tai Chi Pai Lin é fundamental no inverno, reafirmando o sentido de impermanência, nos fortalecendo para a semeadura “do que virá”, na primavera.

 

Práticas do Tai CHi Pai Lin: Às 2ªs feiras, às 7h e 4ªs feiras, às 7h30, na Pça Roosevelt; e às 9h, na UBS República (Pça. Bandeira, 15).

 

Lenny Blue de Oliveira
Facilitadora de Tai Chi Pai Lin
blueoliveira@yahoo.com.br

Notícias relacionadas

background